quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Tinha tanta coisa que eu queria postar hoje, cá por estes lados. Mas fui 'sucumbido' com uma raiva bem passageira, que nem chegou a cortar, mas doeu...
Posto aqui,hoje, uma fala breve, homenagem à você. Misturando Ana Cristina Cezar e um pouco de mim...

Talvez não tenha tanta pressa
ou raiva que entristeça
O fato é que a tua saudade
Já não interessa...
Queria lamentar todo ódio,
não cabendo mais o disfarce,
a não-loucura
e a falsa gaveta de ternuras,
da tua intenção de vó.
Não salve o que você renega,
a tua roupa brega,
não veste mais ninguém.
A conta da vida
enquanto posso, pago.
A noite mal dormida,
enquanto acordado, grato.
Obrigado mesmo, pela noite mal dormida,
ou seria bem aproveitada ,
ou seria bem curtida,
curtinha, ás vezes,
mas bem propensa,
a saltar mais alto,
a saltar mais longe,
a aproveitar de fato.
Nada mais me assusta,
nem o espírito da cutia,
quanto mais teu papo sem maestria,
essa conversa vazia,
ninguém precisa ouvir.
Tua idéia solitária, já não convence mais
e não diz mais nada.
Um dia ainda desapereço,
porque a falta tem preço...
e se por aí padeço...
você não será mais o motivo,
de ser a pedra para o meu tropeço.

Um comentário:

Luzia disse...

Uí...Eu que não queria ter dado toda essa raiva. Oxalá, q proteja vc. Seu verdadeiro, verdadeiro demais por sinal! Apareça